Dúvidas? 11 3052-2529 | 0800 771 2529 Login

Conteúdo Descomplicado

Boas Práticas e Qualidade dos Gastos na Administração Pública

Redação Radar IBEGESP Inovação e Boas Práticas Notícias Boas Práticas 03/06/2019

Entenda o que consideramos essencial para a Administração Pública brasileira

Todo conteúdo produzido pelo Radar IBEGESP busca disseminar boas práticas na Administração Pública. Por este motivo, um tema que aparece com frequência na nossa plataforma diz respeito à qualidade dos gastos públicos. Mas, afinal, o que significa isto? Como podemos qualificar um gasto?

De início é importante dizer que uma das principais atribuições de um servidor público, em especial do gestor de contratos, se concentra no adequado mapeamento de despesas e receitas. Em outras palavras: é preciso conhecer os recursos de que dispõe o Órgão Público e o que e em quais quantidades é gasto no cotidiano.

A atenção a esta questão leva a outro tema importante para o gestor: o combate ao desperdício na Gestão Pública é capaz de aumentar a receita, simplificar procedimentos e impactar positivamente o servidor e a sociedade. Um exemplo de combate ao desperdício está na digitalização de determinados documentos, de modo a eliminar o uso do papel.

Mapear corretamente a receita do Poder Público e evitar o desperdício são questões capazes de mostrar, mesmo que superficialmente, o que permite maximizar o padrão de qualidade dos gastos públicos. Para além disso, é de suma importância empreender gastos de acordo com o que é prioridade para a sociedade. Ou seja: os gastos públicos devem respeitar, obrigatoriamente, o interesse social e não o interesse particular. É por este motivo que o Estado não deve visar ao lucro, mas sim à garantia da prestação de serviços essenciais.

Pensando especificamente na área de Contratos, é válido apontar que agir com responsabilidade e adotar uma boa prática pressupõe a correta gestão contratual. Neste sentido, três fatores devem ser sempre mantidos como pontos de atenção:

  1. Resultados esperados;
  2. Balanço entre expectativas e entrega;
  3. Impacto no público-alvo.

Como você já pôde perceber, debater a qualidade dos gastos públicos pressupõe não só a ação responsável, como também o respeito às normas constitucionais e busca de maior eficiência. É essencial notar que este debate torna necessária, cada vez mais, a adoção de práticas inovadoras.

Por isto, compartilhe sua opinião: que inovação você acha que poderia elevar a qualidade dos gastos públicos e trazer boas práticas à Gestão?

Tags:

Posts Relacionados