Dúvidas? 11 3052-2529 | 0800 771 2529 Login

Conteúdo Descomplicado

O que fazer quando a equipe entra na zona de conforto?

Redação Radar IBEGESP Recursos Humanos e Gestão de Pessoas Matérias Inovação 16/08/2019

Orientação Dirigida pode ser solução

Em cada esfera de nossas vidas, seja ela profissional ou pessoal, temos uma zona de conforto. E isto não acontece só com indivíduos, mas também com equipes.

Sair da zona de conforto costuma levar a uma situação momentânea de medo. Qualquer profissional bem-sucedido não pode ficar estagnado por conta desta insegurança, uma vez que é justamente a superação do medo que nos leva ao aprendizado. 

É interessante notar o ciclo que envolve esses diferentes momentos. Quando estimulamos novas habilidades, estamos suscetíveis a entrar de novo na zona de conforto através da prática. E é por isso que é necessária uma sede constante de aprendizado. São as inquietações e a busca por novas respostas que nos levam à superação.

A sensação de medo de sair da zona de conforto pode ser especialmente incômoda para gestores públicos, especialmente por conta de características específicas da atuação na Gestão Pública. Tal sensação pode não só impactar negativamente a prestação de serviços aos cidadãos, como também a autoestima e saúde mental do servidor. Em momentos como este, é essencial buscar uma orientação e estabelecer algumas mudanças de atitude.

Algo que vem sendo cada vez mais procurado por gestores, são orientações dirigidas delineadas especificamente para quem atua na Administração Pública. O serviço permite que o gestor analise os fluxos de seu cotidiano trabalhista e encontre melhorias que possam otimizar sua atuação.

Para além disso, há algumas dicas que podem estimular a equipe ou algum colaborador a sair da zona de conforto. Confira!

  • Incentive a equipe e seus colegas a pensar fora da caixa;
  • Parabenize novas ideias e reconheça a evolução de processos;
  • De tempos em tempos, empreenda dinâmicas que alterem a rotina;
  • Estimule conversas para que seja compartilhado entre todos o fluxo de trabalho de cada um;
  • Valorize a experiência de colaboradores mais antigos e sua troca de ideias com colaboradores mais novos;
  • Valorize o ponto de vista de novos membros da equipe.

E lembre-se: sair da zona de conforto é um exercício diário!